.mais sobre mim

Envia-me um e-mail

.pesquisar

 

.posts recentes

. Garrano

. Urso pardo

. Hamster

. O coelho

. Os Golfinhos

. Carta ao Verdinho - Escol...

. PATO-REAL

. A LONTRA

. O GANSO

. Melro-metálico

.arquivos

. Junho 2012

. Maio 2012

. Março 2012

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.tags

. todas as tags

.links

.subscrever feeds

|ESPAÇO CRIANÇA| |DICAS VERDES| |DIAS AMBIENTAIS| |ANIMAIS|

|PLANTAS| |AMBIENTE| |HISTÓRIAS E JOGOS| |SONDAGENS|
Quinta-feira, 9 de Julho de 2009

B.I. DO PIMPÃO

 

Nome científico: Carassius auratus (Linnaeus, 1758)
 
Nome comum:Pimpão, Peixe-vermelho, Peixe-dourado, Cometa, Ninfa, Pom-pom, Cauda-de-véu e ainda, outros nomes mais exóticos como Oranda, Ce, Wakin, Jikin, Tosakin, Ranchu, Ryukin, Wen, entre outros.
 
Nacionalidade: A sua domesticação, na China, vem desde o século X, produzindo-se por selecção artificial, um grande número de variedades.
 
Morada:No meio selvagem, os Pimpões, preferem rios e lagos de água doce de corrente fraca e substrato arenoso, e que apresentem alguma vegetação disponível, que é por eles muito apreciada.
 
Género:Durante a época de reprodução é possível observar nas fêmeas de algumas variedades de Pimpão o ventre mais arredondado. Mas como o corpo arredondado, é uma das características seleccionadas pelos criadores, nem sempre esta característica pode indicar a distinção entre macho e fêmea. Os machos, por sua vez, desenvolvem pequenos tubérculos nupciais (semelhantes a pontos brancos) em zonas específicas do corpo – cabeça, opérculos e barbatanas peitorais – sendo especialmente notórios no primeiro raio das barbatanas peitorais uma fila destes tubérculos.
 
Filiação e Nascimento:A maturidade dos Pimpões começa a partir do segundo ano de vida, dependendo da temperatura da água, alimento disponível, entre outros factores ambientais. Na natureza, a reprodução ocorre durante o Verão, mas em aquários pode ocorrer durante todo o ano. Antes da postura dos ovos, o macho persegue a fêmea durante vários dias. A fêmea durante o período de reprodução poderá realizar várias posturas de milhares de ovos cada 8 a 10 dias. Os pequenos ovos são adesivos, e se o lago ou aquário tiverem plantas aquáticas, estes serão locais de eleição para as posturas.
 
Acredita-se que as “madrinhas” de todos os pimpões actuais foram a Carpa-da-Prússia (Carassius gibelio) e a Carpa-da-Crúcia (Carassius carassius), há muitos anos atrás.
 
Idade: Podem celebrar muitos aniversários, entre 10 a 40 anos, em cativeiro ou na natureza.
 
Estado civil: Especialmente durante o Verão, são muito namoradeiros.
 
Crenças: Na China, o Pimpão é símbolo de fortuna, saúde e prosperidade, enquanto que para os Budistas é o símbolo da liberdade. No Feng Shui, tradicionalmente são colocados num tanque oito pimpões laranja ou amarelos e um de cor escura, onde os de cor clara se destinam a atrair a boa sorte e o de cor escura, representa uma dádiva aos deuses do infortúnio.
 
Habilidades e Curiosidades: Muito se tem especulado sobre a memória de 3 segundos dos peixes, mas alguns estudos e experiências com Pimpões provaram algo muito diferente. A faculdade de psicologia da Universidade de Plymouth, numa investigação levada a cabo pela equipa do Dr. Phil Gee, concluiu que não só o Pimpão possui uma memória superior a 3 segundos, mas que pode ultrapassar 3 meses de duração em relação à memória de aprendizagem associativa e memória de aprendizagem social, inclusivamente chegando a reconhecer a mão de quem alimenta.
 
Numa outra experiência com luzes de várias cores, foi possível verificar que o Pimpão consegue reconhecer as diferenças de cor.
 
Feitos e manias: O Pimpão foi importado da China para Portugal, ao que tudo indica, em princípios do século XVII. Na mais antiga literatura zoológica portuguesa (finais do século XVIII) já é referido entre nós e designado por “peixe-da-china”. Durante o século XVIII foi introduzido em vários países europeus, aparentemente a partir de Portugal.
 
Habilitações: A história do Pimpão já vem de tempos antigos e de outros continentes, e não lhes é estranho frequentar casas reais e monásticas:
 
  • Na China, durante a Dinastia Jin, é pela primeira vez, é registada uma mutação genética natural para a cor das carpas-da-prússia (Carassius gibelio) e/ou da carpas-da-crúcia (Carassius carassius). As habitualmente carpas cinzentas ou prateadas, apresentam as seguintes cores mutantes: amarelo ou dourado, vermelho e laranja. Começa aqui a história do pimpão, pela acção do Homem.
  • Durante a Dinastia Tang, os jardins d´água são muito populares na China, pelo que os pimpões com as colorações amarelo-alaranjadas são uma grande atracção. Eram exibidos em recipientes, e não nos lagos, durante ocasiões especiais ou quando se queria impressionar os convidados durante uma recepção.
  • Tão belo que é considerado o Pimpão na China, que a imperatriz da Dinastia Sung ordenou a construção de um tanque que se destinava a albergar somente variedades de pimpões vermelhos e dourados. A imperatriz tinha um carinho especial pela variedade de pimpões dourados, pois era a cor da casa imperial, e só era permitido a posse de pimpões dourados a quem pertencesse à casa imperial.
 
Conteúdo Desenvolvido por:
 
Ana Caramujo Marcelino Canas
Bióloga Marinha do Fluviário de Mora
 
Fluviário de Mora
Educação – Falas do Rio
Medrar na Ribeira Raia
 
Adaptado de:
Maria Teresa Meireles
BI de Sapos e Rãs
2ª Edição
2004, Lisboa
Apenas Livros, Lda. p. 38
ISBN: 972-8777-17-5
 
Bibliografia consultada:
 
C. Almaça, Peixes dos Rios de Portugal , Edições Inapa, S. A., Lisboa, 1996.
H. R. Rabanal, History of Aquaculture, ASEAN/UNDP/FAO Regional Small-Scale Coastal Fisheries Development Project
Manila, Philippines, 1988.
 
Sites de internet consultados:
 
http://www.scientificblogging.com/small_world/golden_oldies_keeping_pet_fish_alive_because_theyre_smarter_than_you_think
 
http://www.nootropics.com/intelligence/smartfish.html
 
http://www.bristol-aquarists.org.uk/goldfish/info/info.htm
 
http://www.hagen.com/pdf/aquatic/Nutrafin_No4_English.pdf
 
Fotografia: Paulo Oliveira
tags:
publicado por verdinho_naturezabrincalhona às 12:04
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres